Minha Trajetória

Passado, Presente e Futuro

Quem sou eu?

Apaixonada pela educação e intrigada pelo processo de aprender são duas formas de me definir. Mas o que é educação, ensinar e aprender? Educação é um processo que cada pessoa vivencia desde o seu nascimento. Nós aprendemos nas interações com os outros a nos comunicar, a ser, viver e a conviver. Os conteúdos são as lições práticas da vida onde criamos e recriamos a nós mesmos a medida que incorporamos à nossa vida cada um deles, ou na medida que decidimos quais são importantes para o projeto de vida que traçamos ou é traçado para nós.

Língua Inglesa

Sou carioca e morei no Rio até 1991 quando me mudei para Londres para explorar outra cultura e língua. Morei lá até 1996. Houve idas e vindas e dentro desse período passei praticamente um ano no Egito (Alexandria). Em Londres, o contato com outras culturas é praticamente norma, já que é uma cidade que abriga pessoas de todos os lugares do mundo. Um pouco antes de voltar para o Brasil, meu último Natal, reunimos em uma festa de ano novo pessoas de todos os países. Ouvir diferentes línguas e conviver com diferentes culturas é um grande aprendizado. Em Alexandria a convivência com egípcios foi surreal. Uma cultura tão diferente da qual eu estava acostumada mesmo convivendo já em Londres com um egípcio, nada se compara a vivenciar o país e sua cultura.

Volto para o Brasil permanentemente com uma bagagem cultural e linguística que transformou o meu modo de ver o mundo.

Comecei a lecionar inglês em cursos de idiomas em 1998 e desde então isso tem sido parte integral da minha vida.

A Internet

Desde que voltei para o Brasil a internet foi o que me ajudou a ficar conectada com o mundo que havia deixado para trás. Foi muito difícil voltar e se adaptar à uma cultura monolíngue. Eu sentia uma necessidade imensa de me conectar com o mundo, com outras culturas.

Em 2008, conheci o Instituto Airton Senna que me ajudou a unir duas paixões: estar ligada ao mundo e educação. As oportunidades de aprendizagem ocorriam a princípio via Yahoo Grupos e plataformas de escrita colaborativa como blogs e wikis para as atividades práticas. A minha primeira experiência colaborativa foi mediada pela agente Fernanda Camargo que sempre me incentivou nessa jornada.  O Instituto Airton Senna conta com mediadores excepcionais e os cursos são gratuitos. Se você não conhece, vale a pena conhecer e participar. Devo grande parte dessa aprendizagem sobre a integração das tecnologias digitais a esse projeto educacional incrível.

Dentre as oportunidades de aprendizagem que pude vivenciar com eles, estão os cursos:

EAC Possibilidades do Uso Pedagógico e Criativo do Portal Escola Conectada ( 14/05 a 24/06 de 2008)

EAC Trabalhando com Tecnologias Digitais Digitais em Sala de Aula ( 12/08 a 23/09 de 2008)

EAC Produção Textual em Ambientes Digitais ( 23/09 a 07/11 de 2008)

O mundo pede uma nova escola (24/02 a 06/04 de 2010)

Pensando a autoria ( 06/04 a 17/05 de 2010)

Teoria e prática do projeto de aprendizagem ( 22/04 a 02/06 de 2010)

Mídias na Educação ( 28/04 a 13/06 de 2010)

As possibilidades da rede de aprendizagem ( 05/05 a 15/06 de 2010)

Conteúdos ou Competências: Como avaliar? ( 12/05 a 23/06 de 2010)

Representações Visuais: Desenvolvendo Competências nos Alunos ( 12/09 a 23/10 de 2011)

Redes Sociais e sua aplicação na sala de aula ( 24/10 a 04/12 de 2011)

Uso de recursos da hipermidia na Sala de Aula (24/10 a 04/12 de 2011)

Redes de produção de noticias no suporte à aprendizagem ( 06/08 a 16/09 de 2012)

Portal educação e tecnologia: possibilidades e aplicações no dia a dia da escola ( 13/08 a 23/09 de 2012)

Letramento Digital: Leitura e Escrita na Sociedade do Conhecimento ( 27/08 a 07/10 de 2012)

Iniciação Científica e TICs nos anos iniciais ( 10/09 a 21/10 de 2012)

* Games aliados à educação ( 17/09 a 28/10 de 2012)

*Ambientes Virtuais e Sala de aula Presencial: Espaços de aprendizagem ( 15/10 a 25/11 de 2012)

A didática de ensino na era da mobilidade (15/10 a 25/11 de 2012)

O lúdico como recurso tecnológico em sala de aula ( 22/07 a 01/09 de 2013)

O uso dos dispositivos moveis na educação (27/07 a 15/09 de 2013)

Representações Pictóricas: Recursos facilitadores da aprendizagem (26/08 a 06/10 de 2013)

Pesquisa em sala de aula: o uso da internet na educação (30/09 a 10/11  de 2013)

*Cursos feitos mas não completados para fins de certificação

Grupo de Educadores Google (GEG)

Em fevereiro de 2015 fui apresentada ao GEG através do evento que ocorreu na semana pedagógica na escola que trabalho ( SATC ). Eu nem sabia que tal iniciativa existia, e muito menos na minha cidade. Para se tornar um líder GEG (Grupo de Educadores Google) passamos por uma entrevista via email e segue abaixo o meu email resposta:

Por que se tornar um líder GEG?

1- Sou super engajada na comunidade internacional e nacional de ensino de inglês.
2- A minha formação em pedagogia expandiu o meu olhar sobre a educação e as diversas áreas do conhecimento, me levando a querer ter um engajamento maior com outros educadores e uma visão (inter) e (trans)disciplinar da aprendizagem.
3- Já venho há anos explorando o ensino e mesclando o uso da tecnologia com os meus alunos através das ferramentas de comunicação (Whatsapp), rede sociais (FACEBOOK), LMS ( Moodle e Edmodo), Google drive e outras ferramentas online de acordo com as necessidades do meus alunos e os objetivos de aprendizagem.
4- A formação continuada é de extrema importância para engajar os professores em novas práticas. Porém muitas escolas ainda não dão conta de engajar os professores nessa formação pois sempre há um tom de obrigatoriedade. Iniciativas que partem dos professores e que não são top down tendem a engajar os professores já antenados e inspirar outros a participar. No entanto, a coordenação da escola precisa ter uma visão mais ampla e apoiar as iniciativas. Do contrário, não encontramos nem espaço na escola para inovar e aperfeiçoar nossas habilidades e competências.* Hoje, passamos por um processo de democratização do conhecimento e aprendemos a valorizar os conhecimentos produzidos pela comunidade de professores. Me sinto muito feliz em dizer que dentro do ensino de língua inglesa, eu faço parte dessa realidade através de várias iniciativas colaborativas e gratuitas que foram surgindo ao longo dos últimos anos como o BrElt, 30 Goals challenges, iTDi, etc.
5- Como mentora voluntária do iTDi, o meu papel é apoiar professores na reflexão de sua prática pedagógica e apoia a implementação de novas práticas. Faço a mentoria quando eles sentem que precisam de alguém para compartilharem as suas dúvidas e experiências.  e através das trocas encontram novos caminhos. Quero poder fazer o mesmo com os professores locais.
6- Faço apresentações online e gostaria que mais professores pudessem também compartilhar suas práticas com o mundo.
7-  Sei bem o que é não ter acesso a formação continuada presencial, pois essas sempre acontecem nos grandes centros. E como uso os espaços online para a minha própria formação, entendo a importância que as ferramentas digitais tem.
*Acrescento esse ponto levando em conta o fato dos gestores serem fundamentais para apoiar iniciativas de organizações sem fins lucrátivos e abrir as portas para projetos como o do GEG.

A Importância das Redes de Aprendizagem

Criar redes de aprendizagem nas escolas, especialmente as públicas, é de suma importância. Os professores tendem a se isolar e os desafios do cotidiano contribuem para o isolamento já que os docentes sentem medo de compartilhar suas experiências e práticas. No entanto, ajudar professores e gestores a criar suas redes de aprendizagem a fim de discutir os recursos digitais disponíveis e práticas inovadoras, contribuindo para o letramento digital dos professores e alunos, assim como toda a comunidade escolar é de suma importância e precisamos de pessoas que possam dar esse pontapé inicial.
Por que as redes de aprendizagem, como espaço de formação continuada, são importantes? A criação de espaços para troca oportunizam aos participantes o compartilhamento de ideias e experiências estimulando a reflexão, e gerando mais compartilhamento.

Projetando o futuro, contribuindo para a educação

Até recentemente o meu foco era aplicar os conhecimentos adquiridos sobre novas tecnologias e práticas inovadoras no ensino de inglês, mas com a formação também em pedagogia e como mãe há sempre a preocupação com a educação formal dos nossos filhos e foram as diferenças e dificuldades de aprender essa disciplina x ou y entre os meus próprios filhos que me fez perceber que poderia contribuir para melhorar o processo de ensino-aprendizagem se ampliasse o meu olhar para outras áreas da educação. Meus projetos pessoais voltados para a educação:

  • Inicio em 2016/1 a Licenciatura em Informática pela Unisul.
  • Inicio em 2016/2 a pós-graduação em Design Instrucional pelo Senac.
  • 2017 inicio o meu projeto de mestrado voltado para o desenvolvimento de um sistema que possibilite as crianças entre 5-7 anos programar remotamente um aparato robótico na PPGTIC UFSC Araranguá, pelo Laboratório Remoto RexLab e sob a orientação dos Professores Juarez Bento (Orientador) e a Simone Bilessimo (Co-Orientadora).
  • 2017 inicio o trabalho como assessora educacional da Faculdade SATC com o objetivo de pesquisar e apoiar a implementação de Metodologias ativas no ensino superior, assessorando os professores no planejamento e planejando as formações pedagógicas.
  • 2017 inicio da pesquisa sobre O uso dos dispositivos móveis pelos estudantes do ensino técnico, programa de iniciação cientifica da Unisul (PUIC) sob a orientação da professora Ana Luisa Mulbert (Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Tecnologias da Informação e da Comunicação (INTERTIC)).
  • Há mais de dois anos pesquisando sobre aprendizagem baseada em jogos e gamificação, e aplicando no ensino de inglês: ver o meu blog em inglês onde compartilho sobre essa jornada.

Claro que cada um desses projetos são de fato uma tentativa de compreender melhor como se dá a aprendizagem e contribuir para educação, e ao longo dessa trajetória terei que fazer escolhas e priorizar. Gosto muito de aprender em MOOCs e de usar recursos assíncronos de comunicação por dois motivos: o primeiro é que documenta os diálogos e as ideias, gerando a possibilitada de serem revisatados e reflexão, e o segundo é que otimiza o tempo e nos permitir construir reflexivamente pois nos permite tempo para pensar sobre o que o outro disse a qualquer hora e em qualquer lugar. Espero continuar compartilhando as minhas aprendizagens que se dão muitas vezes através do aluno e da coleta de dados das situações de aprendizagem proposta, e claro aprendendo e se inspirando com outros professores e autores.

Seja bem vindo ao meu blog e fique a vontade para comentar criticamente as postagens, sugerir ideias, compartilhar suas experiências e recomendar leituras.
balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640balloon-2440276_640
E-mail para contato: rosebard@gmail.com
Advertisements