GDocs

#1 Documentos Google: Projeto de Intercâmbio Cultural

Posted on Updated on

 Projeto Pombas da Paz

O projeto consiste na troca de messages de paz entre estudantes de vários países. As mensagens devem ser escritas em um papel no formato de uma pomba. O conteúdo da mensagem deve conter informações sobre o lugar onde os participantes do projeto vivem, as tradições e sua cultura também devem estar presentes na mensagem. A coordenadora do projeto é a professora Russa Larisa Tarasevich com quem eu tive o prazer de conectar nossos alunos através do Skype em julho desse ano.

Recebemos endereços de 5 escolas e estamos nos preparando para preparar as nossas pombas da paz.

Passos para engajar os alunos no projeto: Parte 1

#1 Pensar sobre o mundo

O que vocês sabem sobre esses países?

Em um primeiro momento o objetivo é engajar os alunos não no projeto em si, mas em um processo reflexivo que os levassem a rever o que sabiam realmente sobre esses países, sua história, sua cultura, sua geografia… Nessa etapa, eu pude observar como esse conhecimento é algo distante dos meus alunos ainda. Um projeto de intercâmbio cultural permite que os alunos se engajem não só com conteúdos mas também com pessoas. Com isso, a aprendizagem se torna algo mais prazeroso e significativo. Além de aprender sobre cultura, desenvolver o conhecimento linguístico também faz um link com outras disciplinas.

20151002_110035

#2 Identificar o tema: PAZ

O que essa foto te faz pensar ou sentir?

As respostas foram diversas e isso demonstra o quanto somos diferentes. Essa atividade levou de forma natural ao vídeo e a discussão mais tarde sobre cultura.

10653360_843386259018318_4475070809939199496_n

#3 Olhar as fotos da primeira edição do projeto e discutir o projeto em si, ideias de como participar da segunda edição.

O Projeto de intercâmbio virtual como disse será feito através do envio por correio do material. Os professores participantes estão em contato via Facebook. É importante que os professores fiquem em contato para tirar dúvidas, avisar sobre as postagens, etc.

Parte 2: Aprofundar o entendimento sobre cultura e paz

Apesar das palavras CULTURE e PEACE serem facilmente reconhecidas pelos alunos, a compreensão do conceito em si ainda é superficial. Poder traduzir do inglês para o português esses vocábulos não significa que eles os entendem e podem aplicá-los na sua vida. Na realidade compreendem a palavra paz como sendo ausência de guerra, isso pode obscurecer outros aspectos que podemos vivenciar no cotidiano, como bullying e como isso pode nos afetar, nos tirar a paz. O conceito de cultura é ainda mais difícil de compreender, e resumir a uma definição de dicionário também não explica muita coisa se não houver a oportunidade de refletir sobre situações reais do cotidiano.

Revisitando o livro escrito por John Corbett “Intercultural Language Activities”, eu percebi que para participar em um projeto de intercâmbio cultural como esse requer que os professores revisitem antes de mais nada os objetivos de aprender uma segunda língua, e que então considerem como o aspecto cultural será explorado com os alunos. Corbett (2010, p.3) afirma que nós precisamos compreender primeiro a nós mesmos como indivíduos, como nos relacionamos com os outros ao nosso redor e a sociedade como um todo para que possamos compreender outras culturas (tradução minha). Esse é um ponto extremamente importante e ao observar os meus alunos com dificuldade para descrever/escrever/falar sobre a “nossa cultura”, reconheço a necessidade de ter esse olhar.

#1 Explorar o que entendemos por cultura

Abri um documento Google para cada grupo de alunos. Compartilhei com eles adicionando-os via email. Como é a primeira vez que eles utilizaram essa ferramenta, criei uma tabela dividindo o espaço. Adicionei também um espaço para perguntas onde eles puderam tirar dúvidas sobre a língua e a atividade em si. Quando eles já estavam se acostumando com o GDocs, comecei a utilizar a função “fazer comentário” para ajudar a aprofundar o que estavam escrevendo através de perguntas e comentários. O objetivo era criar um espaço de compartilhamento sem medo de expressar suas ideias, dúvidas, crenças, etc, ao mesmo tempo que refletindo sobre as opções que precisavam fazer baseado no que sabiam de inglês.

This slideshow requires JavaScript.

Uma das vantagens de usar o GDocs é que podemos todos usar ao mesmo tempo (real time access) ou em qualquer lugar ou hora. Os alunos podem continuar trabalhando no seu documento, receber feedback, fazer perguntas, discutir ideias com outros usando a função Chat ou fazer comentário.

Outra vantagem é que nós professores podemos usar o See Revision History (ver revisões no documento) para avaliar o que foi feito, modificado no documento e analisar. Essa função é útil tanto para professores quanto alunos pois o Google Docs salva automaticamente todo o trabalho e pode ser restaurado se alguém deletar algo acidentalmente. Basta voltar em uma certa data/hora e clicar em restaurar versão (restore version) ou copiar colar o trecho. Uma função que nos ajuda a saber o que os alunos já sabem e o que precisam aprender. Alunos podem também ser encorajados a fazer uma autoavaliação.

A terceira parte do projeto é revisitar os conceitos de cultura e paz e escrever uma mensagem de paz no verso do desenho da pomba que cada um receberá para decorar. O que vamos enviar com as mensagens ainda não ficou decidido. Cada grupo ainda está pensando o que irá enviar para representar a nossa cidade.

Motivos para usar Google Docs ao invés de explicar diretamente do quadro e os alunos escreverem no caderno.

Algo que foi comentado pelos alunos como vantagem foi o fato que eles podem receber suporte e explicações sobre a língua de acordo com as suas necessidades. Tanto o professor quanto outro aluno pode ajudar nisso e o conteúdo é explorado de acordo com a demanda do momento, ou seja, enquanto escrevem podem também tirar suas dúvidas e receber feedback. Quando vamos ao quadro fazer uma explicação sobre gramática por exemplo, espera-se que todos prestem a atenção. Isso é cultural. Espera-se um silêncio e que todos fixem os olhos no quadro. Essa atitude está embutida na nossa cultura. Como os alunos tem bagagens linguísticas diferentes não faz sentindo usar esse modelo. Poder usar um espaço digital para personalizar a aprendizagem se faz necessário para otimizar o tempo vivenciado em sala de aula. Todos podem produzir de acordo com o seu conhecimento, continuar avançando de acordo com as suas necessidades e sem precisar parar o que está fazendo para ouvir a explicação do professor além de ficar registrado para todo o grupo revisitar quando quiser.

Advertisements